Tesco e o uso inteligente da tecnologia

Alguém aí nunca ouviu falar da rede de lojas Tesco? Pois nós apostamos que quem já morou no exterior, ou melhor, no Reino Unido ou na Irlanda, não apenas conhece, como também é fã. O supermercado é famoso por seus preços mais do que camaradas, ridículos de tão baixos. Para vocês terem uma ideia, um pacote de macarrão instantâneo marca Tesco não custa mais do que dez centavos de Euro.


Banksy sabe…

Ok, ok, por mais que seja tentador, o foco deste post não é “como o Tesco ajuda estudantes estrangeiros a não passarem fome na Europa”, mas como ele se fortaleceu em um mercado promissor, o da Coreia do Sul. Com o melhor preço, porém menos lojas em relação a concorrência, ele pensou com carinho no público consumidor do país até chegar em uma genial e bem-sucedida ideia: ao invés de abrir novas franquias, eles investiram em tecnologia e tele-entrega.

Como os sul-coreanos têm uma longa jornada de trabalho, eles instalaram lojas virtuais nos metrôs. Explicamos: os displays eram idênticos aos das sedes convencionais, mas com fotografias em tamanho real acompanhadas de um código QR no lugar dos produtos. Os consumidores começaram a fazer suas compras no metrô e a comida era entregue em suas residências.

Não é demais? Resta saber se a comida que parece bonitinha na vitrine chega bonitinha na casa do comprador…

Gostou? Compartilhe: